ConcertinoPortal de pesquisa da música clássica

Os mais famosos compositores da linha do tempo

ABERTURA CONCERTANTE

Última modificação : Sexta, 27 Maio 2016 15:14


 

Mozart Camargo Guarnieri (1907-1993)

 

Camargo Guarnieri escreveu a Abertura Concertante para orquestra de câmara em 1942, atribuindo função solista e virtuosística a cada um dos instrumentos, inclusive aos timbales, cuja parte é complexa e de extrema importância.

 

Foi dedicada ao compositor americano Aaron Copland. Quando Guarnieri voltou de sua estada em Paris após a segunda guerra mundial, ele havia perdido os postos que ocupava como maestro e professor. Nesse ínterim recebeu diversos convites internacionais para que divulgasse sua obra no Panamá e nos EUA. Como ele não tinha dinheiro para as passagens, recorreu à Sociedade de Cultura Artística de SP pedindo ajuda na realização de um concerto de suas obras com o intuito de angariar fundos para sua viagem. Foi aí que surgiu a encomenda desta obra pela presidente da Sociedade, a Sra. Esther Mesquita, que teve a sua estreia com a Orquestra da Sociedade dia 02 de junho de 1942 no Theatro Municipal de SP sob a regência do maestro João de Souza Lima.

 

É uma obra vigorosa rica em nuances. Dividida em três seções com a forma ABA que pode ser vista igualmente como um Allegro de Sonata. A trama é contrapontística e o ouvinte tem a nítida impressão de estar ouvindo verdadeira música de câmara, o que foi, aliás, a intenção do compositor. A procura de sonoridades raras, de caráter sinfônico é constante ao longo da obra. O motivo inicial, de caráter acentuadamente rítmico, domina toda a orquestra, através dos timbales. O mesmo acontece do finale. Uma frase de trompa anuncia a parte central, cujo caráter poético e tranquilo, faz contraste com a agitação rítmica do início. Esta sessão termina com um solo de fagote, que conduz à reexposição da primeira, concluindo a Abertura com uma energia arrebatadora.

 

Guarnieri fez a viagem aos EUA e regeu a obra com a Orquestra Sinfônica de Boston em 1943, sendo muito bem recebida pela crítica e pelo público, o que não aconteceu aqui no Brasil em sua estreia.

 

Esta sua obra funciona como um prelúdio para sua obra sinfônica, demonstrando sua maturidade e maestria na arte da composição.

 

No Rio de Janeiro, a obra foi executada pela primeira vez pela Orquestra do Theatro Municipal, sob a regência de Erich Kleiber, em 14 de julho de 1944.

 

 

 

Vídeo




 

 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS:

. UPTON, George P. e BOROWSKI, Felix "O Livro das Grandes Sinfonias" - 2ª edição, Editora Globo

. Artigo do Grupo de alunos de Licenciatura em Música - UNASP-EC em

http://musicbrazilcamargoguarnieri.blogspot.com.br/

Página acessada em 04/03/2015

Adaptações dos textos: Elza Costa