ConcertinoPortal de pesquisa da música clássica

Os mais famosos compositores da linha do tempo

SINFONIA Nº 41 EM SOL MAIOR, K.551 | "JÚPITER"

Última modificação : Sexta, 27 Janeiro 2017 14:07


 

WOLFGANG AMADEUS MOZART (1756 – 1791)

AUSTRÍACO – ERA CLÁSSICA - 655 OBRAS

 

 

Movimentos: 4

I. Allegro vivace

II. Andante cantabile

III. Menuetto: Allegretto

IV. Molto Allegro

 

Ano da composição: 1788 (finalizada em 10 de agosto)

Primeira publicação: 1793 (somente partes da obra); 1807-10 (partitura completa)

Londre: Cianchettini & Sperati, em "A Complete Collection nºXVIII"

Partes da obra: Offenbach: Johann André, Plate 622, 13 partes

Estilo: Clássico

Instrumentação: flauta, 2 oboés, 2 fagotes, 2 trompas (em dó e em fá), 2 trompetes em dó, tímpanos e cordas.

 

 

Mozart compôs suas três últimas sinfonias - nº 39, 40 e 41 - sem encomenda ou perspectiva de apresentação. Elas constituem um milagre sobre o qual se debruçam, até hoje, entendidos ou simples amantes da música. Elas foram compostas, em rápida sucessão, durante o verão de 1788 ­o que, por si só, já seria um feito inacreditável. Ainda mais espantoso, entretanto, há de ser o fato de que as três, como três Graças divinas, possuem personalidade totalmente definida; cada uma delas, um acontecimento na história da música.

 

 

A Sinfonia nº 41, K.551, Júpiter, foi a última das 41 sinfonias compostas por Mozart. Conta-se que o apelido “Júpiter” foi dado por Johann Peter Salomon, empresário alemão, fazendo referência ao nome do deus supremo da mitologia romana. Nesta magnífica obra, Mozart revela a cada momento e, sobretudo no final, todos os recursos da sua ciência e todo o seu poder que culminam em uma fuga elaborada sobre os cinco motivos do último movimento.

 

Como tributo a Mozart após sua morte, Haydn citou o tema do movimento lento em sua Sinfonia nº 98. "Júpiter" é hoje reconhecida como uma das maiores sinfonias de Mozart, mas não foi executada enquanto ele vivia. "Júpiter" abriria definitivamente as portas para o Romantismo musical do século seguinte.

 

 

Vídeo



 

 

Fontes consultadas:

IMSLP/Petrucci Music Library

Guia Ilustrado da Música Clássica Zahar